Emily SobralPAT

Em serviços de saúde, o descarte de resíduos deve ser seguro, pois o perigo de acidente é iminente

 

Por Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Volto neste post a destacar a importância de se reforçar procedimentos de segurança durante a separação e a destinação de materiais hospitalares, como luvas com material biológico e seringas. No ambiente hospitalar, o destino dos resíduos não pode ser negligenciado porque o perigo de acidentes, especialmente para os empregados de limpeza, é muito grande. Dentro dos hospitais, 21% dos acidentes de trabalho na área da saúde estão relacionados ao descarte incorreto de objetos perfurocortantes, de acordo com a Fundacentro.

Obviamente, também para médicos e enfermeiros, o risco de acidentes com materiais perfurocortantes é real. Quando não há prevenção e desprezo pela organização do trabalho desses profissionais de saúde, como a falta de dispositivos de segurança para agulhas e seringas, o perigo de acidente e possível contaminação acompanha o seu o dia a dia. Com isso, passa a ser irônico que profissionais que ajudam a curar seres humanos terminem, durante o exercício de suas funções, passando para o outro lado do ‘balcão’, ou seja, adoecendo porque medicavam os outros. Um médico que se acidente com uma agulha contaminada com o vírus do HIV, responsável pela Aids, passará a sofrer um verdadeiro drama em sua vida. Portanto, esse exemplo mostra que o risco é alto, e não há como desleixar quanto à utilização e ao descarte correto dos materiais, mantendo-se sempre atento e atualizado sobre os procedimentos de segurança.

Finalizo, lembrando que para tais profissionais, há uma dica essencial para quem trabalha em serviços de saúde: o comportamento seguro, ou seja, eliminando o ‘ato inseguro’ no ambiente ocupacional, que pode ser fatal.

 

www.segurancaocupacionales.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close