EventosPAT

Prêmio DuPont de Segurança e Saúde do Trabalhador homenageia melhores cases da indústria

Setores como automotivo, farmacêutico e automação foram ganhadores nesta oitava edição da premiação que é vitrine para profissionais de segurança do trabalho.

São Paulo, novembro de 2018 – Os vencedores do prêmio DuPont de Segurança e Saúde do Trabalhador foram conhecidos em premiação em São Paulo. Companhias que pesquisaram, investiram e incentivaram as melhores práticas dentro de seus ambientes de trabalho foram homenageadas em jantar promovido em parceria com as revistas CIPA e Proteção.

Os finalistas estiveram presentes para conhecer a colocação de três projetos em quatro categorias – Projeto Estudante, Corte e Abrasão, Proteção Térmica e Proteção Química. Os escolhidos aplicaram no cotidiano das empresas soluções envolvendo produtos como Tyvek® e Tychem®; Nomex® Protera® e Kevlar®.

Bruno Bezerra, líder de Brasil e América Latina para Segurança & Construção, da DuPont, avalia a importância de realizar o prêmio anualmente. “Além de ser uma vitrine importante para os profissionais de segurança do trabalho e saúde, essa premiação passa uma mensagem. É necessário que as companhias invistam em saúde e segurança – primeiro, pelo bem-estar dos colaboradores; e em segundo lugar, porque esse tipo de atenção evita prejuízos ou queda de produtividade para as empresas. É de fato um investimento. Os técnicos em segurança do trabalho não podem ser lembrados somente quando algum imprevisto acontece”.

Fortalecendo o intercâmbio de ideias e projetos entre os países da América Latina, durante o encontro a Toyota Argentina também foi homenageada pelo seu trabalho junto de seus colaboradores.

Nas categorias profissionais, os primeiros lugares receberam como prêmio uma viagem aos Estados Unidos, com acompanhante da empresa, para conhecer a sede da DuPont, no estado de Delaware. O segundo colocado recebeu um laptop. Também foram concedidas às empresas que obtiverem a terceira maior pontuação em cada categoria um diploma de menção honrosa, entregue ao representante da companhia participante.

Conheça os vencedores por categoria

Corte e abrasão

Em primeiro lugar foi escolhido o case da Rockwell Automation, que comprovou a eficiência das luvas Kevlar® de cinco e dois fios em uma das etapas de processo de montagem de painéis elétricos na planta de Jundiaí (SP). O produto garante proteção para atividades envolvendo pontos de compressão, peças móveis, ferramentas manuais e peças em temperaturas extremas. Após cinco anos desde o início da utilização das luvas, a porcentagem de acidentes envolvendo mãos e dedos chegou a 0%, relatam Monica Tenório de Aquino, Especialista de EHS e Dionísio Lopes dos Santos, Coordenador de EHS.

Em segundo lugar, a unidade Toyota de Sorocaba relata que no início da operação na cidade foram registrados acidentes nas mãos e braços. “Hoje, 69% dos nossos processos produtivos utilizam a luva e o mangote de Kevlar®. A durabilidade da luva do concorrente não chegou nem perto da luva DuPont que usamos atualmente. Com o suporte da DuPont e outras ferramentas como banners, laudos, etc. conseguimos reduzir para zero o número de acidentes nas mãos e braços”, avalia a companhia.

A fabricante de pneus Prometeon foi a terceira colocada. Na apresentação do caso, relata que “no início de 2018 iniciamos um novo trabalho de mitigação do risco de corte e abrasão buscando no mercado uma luva que proporcionasse, acima de tudo, segurança – mas que não deixasse de oferecer maleabilidade e destreza, pois o processo exige muita atenção e precisão por parte do colaborador. A Balaska nos apresentou a luva Kevlar® Black de dois fios, com punho de 10 cm e revestimento em vaqueta”. O produto foi implementado em setembro em Santo André (SP) e Gravataí (RS).

Proteção Química

Em primeiro lugar ficou o Instituto Butantan que optou pelas vestimentas Tyvek® em áreas de produção industrial de vacinas e soros para uso humano. O produto DuPont foi usado em substituição as vestimentas laváveis que eram motivo de falhas de logística e desgastes, por exemplo, tornando-as ineficazes para a proteção química e biológica do colaborador. Além disso, chamou atenção da equipe o fato de que o Tyvek® é um material altamente compactável, fator que beneficia o armazenamento interno do produto e posteriormente do resíduo gerado no Instituto Butantan, bem como para seu transporte e posterior armazenamento externo.

Em segundo lugar foi escolhida a CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Uma das suas funções é atuar em casos de emergência química, e a empresa estatal adotou com sucesso os macacões de segurança DuPont™ Tychem® QC/SL e Tychem® TK para proteção contra produtos como pesticidas, ácidos inorgânicos, alcalinos e ácidos.

O terceiro lugar foi para a Michelin e o sucesso da aplicação de vestimentas de Tyvek® em suas plantas industriais. O produto foi o escolhido para alcançar alto nível de proteção para profissionais que trabalham expostos ao produto químico negro de fumo. Trata-se de um pó preto, que pode causar irritação mecânica, sujar e deixar a pele seca. A companhia avaliou Tyvek® como um equipamento confiável, durável, e com o qual nossos os funcionários teriam garantia de segurança e saúde, sem contato com produtos químicos. Surpreendeu também o longo período de uso e resistência do produto quando comparado com uma vestimenta nova.

Proteção Térmica

A Michelin foi a primeira colocada na categoria relatando utilização do novo uniforme feito com DuPont™ Protera®, com o objetivo de proporcionar melhor equilíbrio entre segurança e conforto, com mais resistência, durabilidade e menor custo. A vestimenta foi bem aceita pelos funcionários. Entre os atrativos está o fato de que Protera® garante eficiência mesmo após repetidas lavagens, e não sofre desgastes após exposição a raios UV.

Empatado em primeiro Lugar esteve a unidade Toyota de Porto Feliz (SP). A equipe optou pelas vestimentas DuPont™ Protera® contra riscos elétricos em atividades diárias. A opção foi aprovada por 100% dos usuários, e o custo-benefício. “Ao longo de três anos, a estimativa de redução de custo com EPIs será de 92%, pois a durabilidade é 24 vezes maior do que aquela do EPI tratado quimicamente”, avalia Cristian Lemes, Técnico de Segurança do Trabalho.

Em segundo lugar foi selecionada a InterCement, que passou a disponibilizar para seus funcionários vestimentas e capuz DuPont™ Nomex® para atividades com risco de alta tensão. Os modelos adquiridos são muito mais versáteis e confortáveis, facilitando movimentos e locomoção dos profissionais, além possuir várias opções de tamanhos

A Arcos Dourados, empresa que dirige a marca McDonald’s no Brasil foi terceiro lugar com a aplicação dos mangotes feitos com DuPont™ Nomex® para proteção dos funcionários que operam chapas e fritadeiras. “Entre os resultados, reduzimos em 38% os afastamentos por conta de queimaduras”, explica Bruno Rodrigues, especialista em Segurança do Trabalho e Meio Ambiente.

Projeto Estudante

O primeiro lugar no projeto estudante ficou para Josefa dos Santos, do SENAC Santo André. Ela apresentou estudo baseado em uma empresa de São Bernardo do Campo (SP), cujos funcionários manuseiam vidro e alumínio. O principal objeto de estudo foram os cortes nas mãos provocados por quebra ou manuseio incorreto do vidro e do alumínio durante o processo de fabricação. A solução apresentada foi a luva em Kevlar® DuPont™ de quatro fios, produto que oferece, além de proteção, conforto para os trabalhadores.

Danielle Flores foi escolhida como segundo lugar apresentando solução para a uma serralheria localizada em Diadema (SP). O objetivo do estudo foi reduzir os gastos com a compra de EPI, e garantir ao empregador maior segurança nos processos com luvas de DuPont Kevlar®.

O estudante Lucas Henrique Barbosa Benedito, do Senac Piracicaba foi o terceiro colocado. Ele apresentou estudo baseado na atividade de uma empresa de Piracicaba (SP). “Com a utilização de luvas feitas com DuPont™ Kevlar®, o funcionário trabalha com mais confiança, principalmente no manuseio das calhas, bobinas e no setor de dobragem (…) um dos colaboradores relatou que o EPI proporciona um grande conforto, aderindo-se às mãos e permitindo a manipulação de peças lisas sem medo de elas deslizarem, já que a palma corrugada dificulta o deslizamento dos materiais”.

Entre os estudantes, o primeiro colocado recebe um laptop. O segundo, um tablet. As escolas dos dois primeiros premiados, além do terceiro lugar, também são homenageadas com uma placa especial de participação no prêmio, reconhecendo a excelência dos estudos.

Sobre a Divisão de Produtos Especializados DowDuPont

A Divisão de Produtos Especializados DowDuPont, uma divisão da DowDuPont (NYSE: DWDP), é líder global em inovação com materiais, ingredientes e soluções baseados em tecnologias que ajudam a transformar indústrias e a vida cotidiana. Nossos funcionários aplicam diversos conhecimentos e ciência para ajudar os clientes a desenvolver suas melhores ideias e fornecer inovações essenciais nos principais mercados, incluindo eletrônicos, transportes, construção, saúde e bem-estar, alimentos e segurança dos trabalhadores. A Divisão de Produtos Especializados será separada da DowDuPont e será chamada DuPont, uma empresa independente de capital aberto.

Mais informações podem ser encontradas em www.dow-dupont.com.

 

Fonte: 2PRÓ Comunicação

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close