Mercado e TecnologiaSegurança Coletiva

Sem normatização, escolher poltronas de auditório é desafio para arquitetos

O uso de modelos inadequados de poltronas está entre os erros mais cometidos no momento de projetar os auditórios, seja pelo desconhecimento da importância destes itens não só para o conforto e ergonomia, mas também para acústica do ambiente, ou pela insistência de alguns projetistas de inovar demais nos modelos de poltronas ao invés de utilizar os modelos já reconhecidos. Pode parecer simples, mas o projeto de um auditório é bem complexo e deve levar em conta diversos fatores que influenciam diretamente no resultado final. Em relação as poltronas, por exemplo, há produtos específicos para cada tipo de ambiente, vários aspectos devem ser avaliados para encontrar o modelo ideal como o conforto, segurança, manutenção e produção, muitos deles ignorados por arquitetos desavisados.

Muitas vezes as especificidades das poltronas de auditório não são avaliadas por desconhecimento da existência de uma gama tão ampla de produtos. A interferência acústica, conforto e ergonomia são atributos que imprescindivelmente devem ser avaliados durante a aquisição das poltronas de auditórios. Quanto ao conforto, as poltronas devem ter superfícies estáveis, grandes, capazes de acomodar o corpo e amenizar a pressão na região das coxas, além de encostos altos e apoios de braço anatômicos. A especificação correta destes itens é fundamental, pois influencia em atributos como resistência, necessidade de manutenção, ocupação de espaço físico, interferência acústica, segurança e design. Em relação a segurança e longevidade, é indicado que os assentos sejam fabricados com espumas anti chama, tecidos não propagantes, estruturas metálicas resistentes e com materiais de longa duração, como moldes de assento e encosto injetados. Apesar de não haver normas de segurança estabelecidas quanto as poltronas de auditório no Brasil, é possível buscar por produtos que se encaixem nos padrões internacionais.

Poltronas que rangem ao menor movimento, necessidade excessiva de manutenção ou desconfortáveis. Um simples erro na decisão da poltrona pode pôr a perder todo o trabalho arquitetônico, cenográfico e artístico de um auditório. A falta de normas técnicas que padronizam as poltronas de auditório ideais dificulta o trabalho de arquitetos e projetistas, além de deixar o mercado aberto para empresas irresponsáveis que fabricam assentos que se assemelham mais a armas, é comum encontrar poltronas de escritório adaptadas sobre uma estrutura metálica e comercializadas como poltronas de auditório. Além da segurança, a questão de conforto é relativa sem padrões estabelecidos, visto que as pessoas e seus corpos são diferentes, como saber o que será confortável tanto para uma pessoa de 1,60m quanto para uma de 1,85m? Este é um ponto complicado, principalmente quando os proprietários do local desejam aproveitar o espaço com a maior lotação possível, colocando em risco o conforto e a segurança dos usuários do auditório.

O ideal para a construção de um auditório confortável, seguro, com boa acústica e belo design é encontrar empresas que possuam conhecimento e matérias adequados para o seu projeto, como a ArqOffice que oferece aos seus clientes poltronas de auditório confortáveis, elegantes, seguras e com design único.

Website: http://www.arqofficepoltronas.com.br/

 

https://www.terra.com.br/noticias/dino/sem-normatizacao-escolher-poltronas-de-auditorio-e-desafio-para-arquitetos,a4a7548e03404928f95ab5bc443ab8e88sozr7yt.html

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close