Leis e NormasPAT

API STD 653: a inspeção, o reparo, a alteração e reconstrução de tanques

16/05/2018 – Equipe Target

A API STD 653 – Tank Inspection, Repair, Alteration, and Reconstruction abrange os tanques de armazenamento de aço construídos para atende a API 650 e sua predecessora a API 12C. Fornece os requisitos mínimos para manter a integridade de tais tanques depois de terem sido colocados em serviço e fixos em locais para a inspeção, reparo, alteração, realocação e reconstrução. O escopo é limitado à fundação do tanque, fundo, carcaça, estrutura, cobertura, dependências anexas e bicos na face do primeiro flange, primeira junta roscada ou primeira conexão da extremidade soldada.

O projeto, a soldagem, o exame e os requisitos de material da API 650 podem ser aplicados na inspeção, na manutenção, classificação, reparo e alteração dos tanques em serviço. No caso de conflitos aparentes entre os requisitos desta norma e a API 650 ou a sua predecessora API 12C, esta norma deve prevalecer para os tanques que foram colocados em serviço.

Esta norma emprega os princípios da API 650, no entanto, proprietários/operadores de tanques de armazenamento, com base em consideração de detalhes específicos de construção e operação, podem aplicar esta norma a qualquer tanque de aço de acordo com a sua especificação. Esta norma destina-se a ser utilizada por organizações que mantêm ou têm acesso a engenharia e inspeção com pessoal tecnicamente treinado e experiente em projeto de tanque, fabricação, reparo, construção e inspeção. Esta norma não contém regras ou diretrizes para cobrir todas as condições variadas que podem ocorrer em um tanque existente.

Quando os detalhes de projeto e construção não são fornecidos e não estão disponíveis na norma, os detalhes que fornecerão um nível de integridade igual ao nível fornecido pela edição atual da API 650 devem ser usados. Esta norma reconhece os conceitos de avaliação de aptidão para serviço para avaliar a degradação em serviço de pressão contendo componentes. A API 579-1/ASME FFS-1, Fitness-For-Service fornece uma avaliação detalhada dos procedimentos ou critérios de aceitação para os tipos específicos de degradação referenciados nesta norma. Quando esta norma não fornece procedimentos específicos de avaliação ou critérios de aceitação para um tipo específico de degradação ou quando permite explicitamente o uso de critérios de adequação ao serviço, a API 579-1/ASME FFS-1 pode ser usada para avaliar os vários tipos de requisitos de degradação ou ensaios abordados nesta norma.

Para a conformidade com esta norma, o proprietário/operador tem responsabilidade final pelo cumprimento das disposições desta norma. A sua aplicação é restrita a organizações que empregam ou têm acesso a um organismo de inspeção credenciado definido em 3.3. Se uma parte que não seja o proprietário/operador receber determinadas tarefas, como realocar e reconstruir um tanque, os limites de responsabilidade de cada parte serão definidos pelo proprietário/operador antes de se começar o trabalho.

Quanto à jurisdição, se qualquer disposição desta norma apresentar um conflito direto ou implícito com qualquer regulamentação estatutária governamental, ela deverá ser cumprida. No entanto, se os requisitos desta norma forem mais rigorosos do que os do regulamento, então os requisitos desta norma devem prevalecer. Deve ser feita uma avaliação dos perigos potenciais a que o pessoal pode estarem expostos ao conduzir as inspeções internas nos tanques, reparos ou desmontagem de tanques.

Os procedimentos serão desenvolvidos de acordo com as diretrizes dadas na API Standard 2015 e na API 2217A que incluirão salvaguardas para a saúde e segurança do pessoal, para a prevenção de incêndios e explosões acidentais e prevenção de danos à propriedade. A conformidade para permitir os procedimentos é uma prática essencial de trabalho seguro para proteção de pessoal e propriedade.

Onde a soldagem e o trabalho a quente estão envolvidos, a API 2009 determina que “exceto em áreas especificamente designadas como seguras para trabalho a quente, em outros locais uma autorização deve ser obtida antes de iniciar qualquer trabalho que possa envolver uma fonte de ignição”. Veja também API Standard 2015

Alguns procedimentos especiais podem precisar ser desenvolvidos para certas atividades descritas nesta norma que não são cobertos pelas publicações API referenciadas. Por exemplo, as precauções de segurança para o pessoal que acessa tanques de teto flutuante em serviço ou quando houver gás sendo liberado no lado inferior de um tanque. O Apêndice B da API 2009 fornece informações breves sobre inertização de tanques.

O uso de inertização como uma precaução de segurança deve abordar os riscos pessoais introduzidos ao usar gás inerte em um local de trabalho e a implementação deve ser feita em consulta com especialistas que estão familiarizados com esses processos. Finalmente, os procedimentos devem estar em conformidade com quaisquer regulamentos de segurança federais ou estaduais relativos a espaços confinados ou quaisquer outras disposições relevantes.

FONTE: Equipe Target

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique Também

Close
Close