Emily SobralIncêndios

Não adianta contratar empresa mixuruca para classificar áreas com atmosferas explosivas

É preciso seguir normas para classificar áreas com risco de explosão (Foto Pixabay)

Por Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Quando o assunto é segurança em plantas industriais com risco de explosão não se pode entregar a função de classificação de áreas para amadores.

O profissional que lida com os riscos de ambientes com atmosferas explosivas deve estar preparado tecnicamente para propor soluções baseadas em normas. Primeiramente porque a classificação de área precisa ser adequada às características do local. É, afinal, o risco envolvido no ambiente que especifica quais medidas precisam ser tomadas. A segurança ao longo do ciclo total de vida das instalações “Ex”, juntamente com os requisitos de treinamento, qualificações, competências e certificações dos profissionais depende dos subsídios técnicos de reconhecimento dos riscos de equipamentos em atmosferas explosivas.

As pessoas envolvidas com atividades de projeto, montagem, inspeção, manutenção e reparos de equipamentos e instalações elétricas, de instrumentação, de automação, de telecomunicações e mecânicas em áreas classificadas devem ser capazes de propor soluções com elevado nível de segurança. A instalação de diversos equipamentos elétricos, eletrônicos e de automação para atmosferas explosivas de gases inflamáveis e poeiras combustíveis exige profissional qualificado. “Infelizmente, muitas indústrias contratam serviços de empresas que não têm capacidade para avaliar se há atendimento às normas de instalação de equipamentos “Ex”, bem como de realizar a inspeção e manutenção periódica em áreas classificadas”, explica Paulo Raña, engenheiro e representante da empresa espanhola ADIX, especializada na prevenção de explosões e proteção de pessoas e ativos. Segundo Raña, quando não existem critérios normativos nem profissionais envolvidos com atmosferas explosivas, certamente as instalações contarão com pontos que serão verdadeiras ‘bombas-relógio’, deflagradas a qualquer momento, causando grandes tragédias.

As indústrias de processo devem ser cada vez mais criteriosas quando o assunto é proteção de áreas classificadas.

 

 

Emily Sobral

Jornalista em SST
(11) 4238-1955 / 99655-0136
www.segurancaocupacionales.com.br

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close