Emily SobralPAT

Burnout, o distúrbio causado pela sobrecarga profissional, é um perigo para a saúde

Atualmente, muitas pessoas têm sido diagnosticadas com urnout (esgotamento, em inglês). Entenda melhor por que ele acontece e como pode afetar a saúde do trabalhador.

Por Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A crise econômica que se instalou no Brasil há algum tempo fez com que diversas empresas demitissem uma boa parte de seus funcionários, sobrecarregando os que permaneceram contratados Estes acabaram assumindo as responsabilidades daqueles que se foram, acumulando todas as suas reuniões, prazos, metas e tarefas.

Esse excesso de compromissos gera um desgaste que, depois de um tempo, acaba levando qualquer pessoa sadia a um colapso mental, causado por extrema exaustão. Esse é o chamado Burnout, ou, em bom português, Síndrome do Esgotamento Profissional.

É um problema de difícil diagnóstico que vem atingindo mais e mais pessoas pelo mundo. Conforme dados publicados pela ISMA-BR – International Stress Management Association no Brasil, cerca de 30% dos trabalhadores brasileiros foram acometidos por esse distúrbio.

Como a síndrome do Burnout é diagnosticada?

Essa síndrome costuma ser identificada primeiramente por um alto nível de estresse presente no ambiente de trabalho, promovido pela sobrecarga de trabalho, que faz com que o profissional não se sinta capaz de lidar com problemas.

Geralmente, os primeiros sintomas apresentados são:

  • Sensação de não ser capaz de lidar física ou emocionalmente com determinadas situações;
  • Falta de empatia e uma certa frieza com os colegas de trabalho;
  • Sensação de culpa causada pela baixa na produção.

 

Como funciona o tratamento para a síndrome de Burnout?

Assim que esses sintomas forem percebidos é importante que o profissional comunique seu supervisor e procure uma ajuda especializada. O apoio do responsável é fundamental para a recuperação do profissional.

Apenas tendo a certeza de que poderá descansar, sem sofrer consequências ou penalidades, é que o profissional com a síndrome de Burnout poderá iniciar sua melhora.

Logo, algumas horas a mais de descanso e um acompanhamento psicológico podem ser um bom início para a resolução desse problema. Portanto, se você desconfia que está sofrendo com a síndrome de Burnout, procure um médico que lhe dê um diagnóstico seguro.

Feito isso, fale com seu supervisor e busque junto com ele meios de aliviar um pouco a sua carga profissional. Se você tiver um convênio médico, isso poderá facilitar todo o processo de acompanhamento psicológico, trazendo assim resultados melhores mais rapidamente.

Não permita que esse esgotamento profissional acabe com a sua saúde. Deixar que ele se instale e seu aumento pode trazer consequências como ganho ou perda de peso excessivo, problemas de sono, dores corporais, de cabeça e fadiga constantes, irritação, queda de cabelo, perda de memória e mais uma série de problemas mais graves.

Por Jeniffer Elaina, do PlanodeSaude.net

 

 

 

Emily Sobral

Jornalista em SST
(11) 4238-1955 / 99655-0136
www.segurancaocupacionales.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close