PATSaúde Ocupacional

Fisioterapeuta defende exercícios laborais para conter dor nas costas

A fisioterapeuta Inês Araújo Garcia defendeu ontem, em Luanda, a importância de as empresas criarem espaços e programas ergonómicos, para a realização de pequenos exercícios físicos nos locais de trabalho.

A especialista em terapia manual avançou que a criação de programas ergonómicos para a realização de alongamentos e outros pequenos exercícios físicos nos escritórios, fundamentalmente naqueles em que os trabalhadores passam muitas horas sentados, deve ser uma aposta dos gestores de empresas, para evitar os vários problemas das costas.
Para Inês Araújo Garcia, os exercícios laborais podem ser uma prática a adoptar pelas empresas no sentido de contribuírem para a saúde da coluna dos seus trabalhadores, tendo em conta que boa parte deles efectua oito horas de actividade na posição sentada.
A fisioterapeuta recomenda que, durante 25 ou 40 minutos, o empregado que trabalha sentado pode estar em pé a realizar a sua actividade, altura em que aproveitaria para arranjar um canto e fazer alongamentos e exercícios respiratórios, práticas que ajudam a relaxar a musculatura.
“É preciso que os gestores de instituições tenham consciência de que ter um funcionário com problemas lombares (dores na coluna) é mais oneroso que criar um espaço ou programa para exercícios laborais”, alerta a especialista em terapia manual.
Formada no Brasil, a fisioterapeuta angolana explica que a ergonomia ajuda a controlar, entre outras questões, a postura correcta de sentar do trabalhador, avaliar se a cadeira é ergonomicamente adequada, assim como a posição do computador e a colocação do “mouse”.
“O empregador que cumprir com esses padrões, dificilmente vai ter funcionários a reclamar de dores das costas, com excepção daqueles que já têm os problemas instalados”, disse a especialista.
Além de defender a criação de exercícios rotineiros no local de trabalho, Inês Araújo Garcia é de opinião que alguns compartimentos das habitações (sala, quarto, varandas) podem ser bem aproveitados para a realização de exercícios, desde que orientados por um especialista competente.

Vantagens da ergonomia
Originária do grego “ergon”, que significa “trabalho”, e “nomos”, o mesmo que “leis ou normas”, a ergonomia é umconjunto de estudos relacionados com a relação entre o funcionário e as máquinas que usa para trabalhar.
A fisioterapeuta explica que as grandes empresas têm tido a preocupação de instalar programas ergonómicos no sentido de garantir maior segurança e eficiência na forma como os trabalhadores lidam entre si e com os equipamentos à sua disposição no meio laboral.
Por isso, a especialista chamou a atenção dos empregadores para a necessidade de criarem esse instrumento que considera ter uma grande influência na forma de trabalhar e nos resultados operacionais.
Alguns teóricos afirmam que esses programas ajudam a desenvolver no trabalhador e no meio de actividade os campos físicos (biomecânica da tarefa), cognitivos (aspectos psicológicos) e ambientais (área organizacional, meio ambiente do trabalho).
Inês Araújo Garcia referiu que esses programas de exercícios laborais ajudam ainda a oferecer conforto ao trabalhador e prevenir a ocorrência de patologias das costas, assim como diminuem o cansaço e o stress.

Principais vítimas
A fisioterapeuta considerou as mulheres como as principais vítimas de dores das costas, pelo facto de se submeterem a actividades pesadas ou prolongadas, sem possibilidades de conseguirem tempo, às vezes, para praticar exercícios físicos.
“As mulheres carregam os filhos às costas, transportam os sacos das compras, lavam a roupa, limpam o chão e, muitas outras, têm de levar e apanhar os meninos à escola ou à creche, sem disporem de algum tempo para descansar adequadamente. Esse cenário retiralhes tempo para outras coisas que ajudam na sua saúde e bem-estar”, lamenta a especialista.
Por causa disso e da falta de informações sobre a postura mais adequada durante a realização de certas práticas, a fisioterapeuta disse que muitas mulheres, entre adultas e jovens, acabam por ter lombalgia, devido a problemas de escoliose (desvio na coluna) ou outras doenças.
As crianças também têm sido afectadas por problemas lombares. “Os pais não controlam o peso das mochilas nem têm outros cuidados com as brincadeiras que elas fazem no seu dia-a-dia”, lamentou a especialista.

 

 

http://jornaldeangola.sapo.ao/sociedade/fisioterapeuta_defende_exercicios__laborais_para_conter_dor_nas_costas

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close