Emily SobralIncêndios

Mais uma queimada irresponsável para pegar fogo na mata

Por Emily Sobral

 Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61ntão,

vou escrever e usar este espaço para alertar para não correr doida com as mazelas deste País. No início desta semana, em Santa Bárbara, interior de São Paulo, mais uma queimada criminosa de cana-de-açúcar levou o fogo na mata.

Os canaviais estão sendo atacados pela ação humana, que causa grandes prejuízos e riscos tanto à vegetação, com incêndios que podem alastrar-se, quanto à vida da população. O poder público vem sendo cobrado para impedir e punir os culpados. Já não é de hoje que, especialmente no inverno, os agricultores decidem por conta própria, e infringindo a legislação, realizar as queimadas sem autorização. Infelizmente o problema é antigo porque esbarra no fator econômico e de subsistência dos produtores rurais. Por exemplo, um trabalhador corta 12 toneladas de cana em um dia, e sem a queima da área, a produção cai pela metade.

O que fazer, nesse caso, para que a geração de alimentos não vire tragédia? É preciso que haja monitoramento meteorológico, mapeamento e vistorias de áreas de risco, e limpeza de aceiros. O segmento agrícola precisa cumprir a lei. As queimadas só podem ocorrer com a expedição de licenças pelos órgãos estaduais, como, no caso de São Paulo, a Cetesb (Companhia de Tecnologia Ambiental de São Paulo).

Além disso, os produtores precisam providenciar o EIA (Estudo de Impacto Ambiental) e o Rima (Relatório de Impacto ao Meio Ambiente). Meu Deus do céu e da terra também, como diz meu colega Sérgio Vaz, o agricultor e o cidadão precisam participar do controle do meio ambiente e da segurança de todos. Chegou a hora, aliás, já passou da hora de essas queimadas em áreas de vegetação e canaviais ocorrerem.

O povo deste País parece que sente prazer em transgredir a lei e o bom-senso. Depois que a tragédia está feita, só resta pedir socorro!

  www.segurancaocupacionales.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close