NOTÍCIAS CORPORATIVASSegurança patrimonial e eletrônica

Proteção de dados: entenda como ocorrem as invasões no e-commerce

Com milhares de lojas virtuais em funcionamento na rede, os empresários devem se preocupar em oferecer proteção de dados ao consumidor.

dino

Atibaia – SP,17/05/2019 –

Diante de um universo tão digital, as empresas devem estar atentas à proteção de dados. Importante para garantir segurança, os procedimentos envolvem a análise minuciosa de cada operação a ser realizada pela internet, evitando que se caia em armadilhas. Da mesma forma que muitos sistemas têm por objetivo facilitar a vida de empresas e clientes, existem pessoas que se aproveitam da situação para extraírem esses dados com intenção maliciosa. Isso faz com que todos estejam vulneráveis a golpes, o que aumenta a atenção para esse problema.

Com milhares de lojas virtuais em funcionamento na rede, muitos empresários se preocupam em oferecer proteção de dados ao consumidor. Embasados pelas normatizações como o Regulamento Geral sobre Proteção de Dados (GDPR), constantemente são buscadas novas maneiras de apresentar ao cliente uma segurança para que ele confie em oferecer seus dados e finalize a compra. Porém, esse reforço nas plataformas pode não ser suficiente para garantir a segurança de todos os dados coletados no site.

Para não comprometer toda a operação, é importante que a empresa tenha controle total das operações, garantindo assim, a proteção de dados. Quanto mais terceirizado forem os serviços da loja virtual, mais vulneráveis ficam os dados. As várias possibilidades de interação entre o usuário e o site também aumentam as chances de invasão, já que as pessoas costumam ser direcionadas a outras páginas conforme evoluem no processo de compra.

Os ataques cross-site-scripting (ou XSS), são os mais comuns e, de acordo com o site Entrepreneur, funciona da seguinte maneira: um código malicioso do cliente é injetado por um invasor em um site que seria legítimo, na maioria das vezes em formulários como campos de pesquisa, formulários de feedback, campos de entrada de texto do fórum e até mesmo cookies armazenados no navegador de um usuário. Quando um usuário desavisado acessa um site afetado, o código injetado tem o potencial de fornecer uma carga útil, que pode incluir a execução de código, o roubo de dados, o controle da sessão ou a instalação de backdoors em um sistema de computador ou rede.

A agência de marketing digital Go Biz afirma que a criação de uma loja virtual própria é um dos melhores caminhos para garantir a proteção de dados dos clientes e também das empresas. “O essencial é ter total controle de todos os processos os e-commerce, com garantia de um layout diferenciado, sem perder a segurança”, afirma. A empresa apresenta ainda algumas dicas para o consumidor e as empresas driblarem invasões como essas. “Para o cliente, alterar a senha e limpar o cache do navegador, fazendo uma limpeza de cookies, pode ajudar. Já as empresas devem criar sistemas com segurança rigorosa, atualizando-os constantemente para reduzir ou eliminar erros relacionados à segurança no projeto e na codificação”, finaliza.

Solicitar que os usuários sejam autenticados antes de fornecer dados importantes e permitir a expiração imediata de sessões de login caso seja levado muito tempo para a conclusão da compra, são outras dicas interessantes que os empresários podem seguir para garantir a proteção de dados dos seus clientes.

Website: https://www.gobiz.com.br/

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close