ArtigosPAT

Mas Afinal, No Que Consiste Em Uma Análise Ergonómica Do Trabalho?

Algumas pessoas chegam a me questionar sobre o que de fato consiste em uma análise ergonómica e como esta é realizada. Ou seja, a grande questão é: o que se analisa neste tipo de estudo?
Os interessados em saber mais sobre o tema, acham que, o estudo ergonómico ou a análise ergonómica, baseia-se numa avaliação de mobiliário, posturas e equipamentos, simplesmente. A notícia é que não é tão sucinto assim, já que falamos de estudar o trabalho, seu operador e todas as situações que envolvem ambos para um produto final com qualidade e um trabalhador saudável e confortável. Ou pelo menos, não é para ser…
Não é simplesmente aplicar uma ferramenta de análise, observar os movimentos e posturas adotadas, verificar se a mesa está alta ou baixa. Estamos a falar de uma análise do trabalho, que, por sua vez, envolve inúmeras situações e condicionantes que incidem sobre o trabalhador e a realização da tarefa.
Uma análise ergonómica na abordagem mais ampla que envolve as linhas anglo-saxónica e francófona, recai sobre dois pressupostos: a tarefa e a atividade.

Desde já, é imprescindível o entendimento da distinção que divide o trabalho entre tarefa e atividade. Tarefa é o trabalho prescrito, e refere-se àquilo que a pessoa deve realizar, segundo sua chefia, seus colegas ou segundo ela mesmo. A atividade é o trabalho real e refere-se ao modo como a pessoa realmente realiza sua tarefa.
O conteúdo da análise da tarefa é descrito em termos de metas e objetivos, procedimentos, regras e restrições, etc.. Na análise ergonómica, analisa-se a tarefa para a melhor compreensão das envolventes do trabalho, com coleta de informações feita através de entrevistas, análise da circulação e tratamento da documentação, análise da organização do trabalho, análise das ligações entre os serviços, das características dos postos de trabalho, etc.. Em suma, busca-se compreender, a partir de uma visão ampla e, depois, específica, como os elementos definem a tarefa, como funcionam e como eles devem ser operados.
A análise da atividade visa entender o sistema e a sua operacionalização, e é feita através das observações nas situações reais de trabalho, ou seja, no próprio posto de trabalho. A análise destas situações reais de trabalho irá revelar aspectos importantes como as operações efetuadas, suas dificuldades, seu desenvolvimento e consequências, além das possibilidades que levam ao surgimento de incidentes; uma visão geral da utilização da informação, isto é, conhecer as informações/comunicações realmente utilizadas e a sua ordem, as informações que faltam, as inúteis e as que induzem aos erros; as denominações dadas pelos trabalhadores para as informações e operações por ele realizadas (linguagem operativa ou verbalizações).
As diferenças existentes entre o que é previsto e o que se verifica na prática, tanto no que se refere ao funcionamento, como a operação do sistema, está certamente na origem de erros e incidentes e acidentes ou de estratégias de regulações efetuadas pelo operador, e que muitas vezes levam às catástrofes ou denigrem a sua saúde.

Márcia de Araújo Pereira
MSc. ergonomia
Técnica Superior de Segurança do Trabalho
Pós-graduada em Engenharia de Produção com ênfase em ergonomia
Licenciada em Educação Física
Consultora de Ergonomia em diversos contextos produtivos no Brasil e em Portugal

 

https://www.securitymagazine.pt/2019/05/27/mas-afinal-no-que-consiste-em-uma-analise-ergonomica-do-trabalho/

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close