Leis e NormasPAT

Brasil ocupa quarto lugar no ranking mundial de acidentes de trabalho

De acordo com dados da Previdência oficial, entre 2014 e 2018 foi registrado no Brasil 1,8 milhão de afastamentos por acidente de trabalho e 6,2 mil óbitos.

Bianca Santana Vailant

Redação Folha Vitória

Os dados de acidentes de trabalho no país assuntam. De acordo com um levantamento feito pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do Ministério Público do Trabalho (MPT), diariamente, a cada 3 horas, 38 minutos e 43 segundos um trabalhador ou uma trabalhadora morre vítima de acidente de trabalho.

A cada 48 segundos, um é vítima de um acidente. Em um intervalo de cinco anos, de 2012 a 2017, foram notificadas 14.412 mortes e 4,26 milhões de acidentes de trabalho. Apesar de os números já parecerem altos, a realidade pode ser ainda pior. Isso porque as estimativas da Organização Mundial do Trabalho (OIT) indicam que apenas um em cada sete acidentes são notificados.

Foto: Bianca Vailant

A maioria dos acidentes, cerca de 636.411 (21,03%), foi por corte, laceração, ferida, contusão e punctura (corte profundo, mas com diâmetro pequeno). Em seguida vêm os acidentes com fratura, com 529.360 (17,05%), e por contusão e esmagamento na superfície, 476.281 (15,74%).

Somente nesse período de 5 anos, os benefícios acidentários pagos chegaram a R$ 66.534.254.002. Isso significa que a cada 2 minutos R$ 1,00 foi destinado ao pagamento de um trabalhador acidentado. Já os dias de trabalho perdidos com afastamentos previdenciários e acidentários somam 305.299.902.

Uso de Equipamentos de Proteção Individual, (EPIs)

Quando o assunto é trabalho em redes de alta tensão, é preciso estar ainda mais atento aos procedimentos de segurança. Regulamentado desde 1977 pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o uso de equipamentos de segurança no trabalho é obrigatório para casos em que as atividades profissionais que possam trazer algum tipo de risco físico para o trabalhador.

Foto: Bianca Vailant

O uso dos Equipamentos de Proteção Individual, (EPIs) é importante para garantir a saúde e a proteção do trabalhador. Os equipamentos são utilizados para evitar maiores complicações em casos de acidentes de trabalho. Além disso, o EPI também é usado para garantir que o trabalhador não fique exposto a doenças ocupacionais, que podem comprometer a capacidade de trabalho e de vida dos profissionais, durante e depois da fase ativa de trabalho.

Toda empresa deve fazer um estudo de riscos ocupacionais para definir quais são os equipamentos necessários para o trabalhador. Além de fiscalizar o uso dos equipamentos, a norma técnica chamada NR6, que estabelece o uso dos EPIs, determina que os equipamentos de segurança sejam fornecidos de forma gratuita ao trabalhador.

Conscientização de riscos

Para reforçar a importância dos equipamentos de segurança durante o trabalho, a EDP realizou no último sábado, dia 14, o Rodeio dos Eletricistas. No evento, os funcionários da empresa de todos os municípios do Estado, realizam uma série de tarefas para testar os conhecimentos sobre procedimentos de segurança e operações do dia a dia de trabalho.

Diferente dos rodeios comuns, onde os equipamentos utilizados são esporas, calças de couro e chapéus, no Rodeio dos Eletricistas foram utilizados cintos de segurança, capacetes, cinto paraquedas, botas, luvas, óculos de proteção e uniformes antichamas. Todo o material utilizado pelos competidores, os conhecidos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), são utilizados no atendimento às ocorrências.

Ao todo, 12 equipes, compostas por seis profissionais, participaram da disputa. A animação ficou por conta da torcida, que participou em peso! A cirurgiã dentista Renata Garcia de Oliveira, veio de Guarapari para torcer pelo marido, o eletricista Lourival Pereira dos Santos Junior, que trabalha na EDP há 8 anos. “Já é o segundo ano que eu participo da competição. É sempre uma adrenalina e emoção muito grande.“, destacou.

Foto: Bianca Vailant
Família acompanhando o torneio dos eletricistas

Para a esposa de Lourival, que foi ao evento com a filha de 4 anos, o momento é importante para que a família saiba qual a realidade do dia a dia da profissão. “É muito bacana poder acompanhar o trabalho. Assim a gente consegue ter uma ideia do que eles fazem e dos riscos que correm diariamente”, disse a cirurgiã.

A competição foi acirrada e a torcida marcou presença. As tarefas simulavam situações que acontecem na vida real com a rede de distribuição de energia. Mas para vencer, não bastava ser mais rápido. O mais importante era executar todos os procedimentos de segurança de forma correta.

Dois critérios eram fundamentais para levar a premiação: a excelência com a segurança na execução e o tempo de cada tarefa. Cada atividade foi avaliada por juízes experientes no setor, que determinavam as pontuações por equipe. O gestor da EDP, Bruno Mendonça, falou sobre os critérios de desempate de da competição. Confira a explicação no vídeo abaixo:

Ao todo, foram realizadas seis provas. Em uma delas, os eletricistas precisaram equipar-se com todos os itens de proteção individual (EPIS) de olhos vendados! Também subiram em postes de 12 metros para realizar abertura de chave, instalaram conjunto de aterramento, substituíram isoladores e trocaram medidores de energia. Todas as atividades fazem parte dos processos de reparação e manutenção da rede elétrica, realizados rotineiramente.

Foto: Bianca Vailant

De acordo com o diretor da EDP no Espírito Santo, João Brito Martins, essa é uma estratégia para reforçar a importância da segurança no trabalho. “Todos os nossos colaboradores são altamente capacitados para a função que exercem. No entanto, quando o assunto é eletricidade, todo o cuidado é pouco. O Rodeio é uma forma leve e divertida de integrar os profissionais que atuam em diversas regiões da companhia e, principalmente, de incentivar os profissionais a zelar pela segurança no trabalho, além de promover a integração entre os colaboradores da EDP, empresas parcerias e as famílias”, explicou.

O resultado da competição saiu no fim da tarde de sábado. O primeiro lugar equipe Lobo do Mar, de Cachoeiro de Itapemirim. Em segundo lugar equipe Vitória, de Vitória e em terceiro lugar equipe Força Norte, de Linhares. O primeiro o segundo lugar irão representar o ES no Rodeio Nacional, que acontecerá ano que vem em Vitória. Confira abaixo como foi o evento no último sábado:

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close