NOTÍCIAS CORPORATIVASSegurança patrimonial e eletrônica

Medidas para minimizar riscos de roubo no transporte de cargas

A contratação de um seguro de transporte de cargas é um investimento fundamental para evitar prejuízos durante a cadeia de distribuição de produtos. O risco de assaltos e roubos durante o transporte é alto e as corretoras de seguros alertam para que compradores e vendedores não arquem com as perdas decorrentes dessas ações.

Existe também o risco de sinistros, como colisões, abalroamento, capotamento e incêndio com o veículo transportador, que podem destruir ou danificar a carga. Algumas situações podem levar a perdas e extravio das mercadorias e produtos. Por isso, o transporte de cargas é considerado uma operação de alto risco e não dá para abrir mão do seguro.

“A principal atribuição de uma corretora de seguros é atuar de forma consultiva, controlando os riscos e trazendo a segurança de que, em eventual acidente ou roubo das mercadorias, a empresa reponha seu patrimônio no menor tempo possível, e consiga retomar rapidamente as suas atividades” afirma Alexsandro Calhau, diretor da A2G Corretora de Seguros.

Etapas e medidas para minimizar riscos no transporte de cargas 

O gerenciamento de risco no transporte de cargas é um processo que abrange toda a cadeia, desde a movimentação das mercadorias para o carregamento nos veículos transportadores, incluindo transporte, distribuição e transferências entre locais. Por isso, a adoção de um conjunto de ferramentas e medidas preventivas para minimizar os riscos existentes nessa atividade passa a ser prioridade para as empresas e transportadoras.

Algumas medidas são determinantes para a proteção e segurança no gerenciamento de risco, papel importante das corretoras de seguros, tais como: utilizar veículos adequados para cada tipo de carga, dar preferência para o transporte em horários diurnos, escolher a melhor logística para a operação, ter atenção às embalagens e amarração dos volumes e fazer uso de meios modernos de comunicação.

Acordos entre seguradoras e clientes e tipos de seguros

Cada empresa deve alinhar as soluções de proteção para a área da logística de acordo com a sua operação e atividade. O principal objetivo do seguro de transporte é proteger as empresas contra perdas inesperadas durante o transporte e movimentação de mercadorias.

Quando a mercadoria for transportada dentro do Brasil, a contratação de seguro é obrigatória.

A legislação estabelece que durante o transporte em território nacional as pessoas jurídicas são obrigadas a segurar seus bens e mercadorias, seja a carga transportada por frota própria ou terceirizada.

Os seguros de transporte de cargas se dividem em duas categorias: nacional e internacional. O nacional deve cobrir danos causados à mercadoria transportada por meio aéreo, terrestre e aquaviários em casos de acidentes com colisão, capotagem, tombamento, incêndio, explosão, cobrindo também assaltos e desaparecimento de carga com vestígios ou emprego de violência.

O internacional é contratado nas operações que envolvem comércio exterior com base nos modais de transporte a serem utilizados. Oferece garantias desde o embarque até a entrega no destino final.

O seguro internacional, de Importação ou Exportação, deve seguir as regras do INCOTERMS, International Commercial Terms – “Termos Internacionais de Comércio”. São normas que determinam quem paga o frete da mercadoria, o seu ponto de entrega, e quem deve fazer o seguro. Os INCOTERMS são muito importantes para que a pessoa que vende para o exterior possa calcular todos os seus gastos.

Quais coberturas existem no mercado?

Básicas, adicionais e de responsabilidade civil. Cada uma se divide em especificações particulares para os diferentes tipos de risco, carga, rota e mercadoria.

A contratação das coberturas básicas, determinadas na apólice padronizada que a Superintendência de Seguros Privados (Susep) estabeleceu, é obrigatória.

Dependendo do tipo de mercadorias ou bens, o seguro da carga deve ser contratado nas modalidades das coberturas básicas restritas C ou B, ou pela cobertura básica ampla A, além de conter cláusulas específicas para determinados tipos de mercadorias ou bens, ou destinos, ou meios de transporte.

Coberturas de seguro de transporte internacional de cargas

Cobertura básica ampla A

O segurado tem a garantia de ser indenizado dos prejuízos que tiver com a carga transportada. No entanto, existem perdas às quais o seguro não dá cobertura.

O seguro também cobre avarias e despesas de recuperação da carga e despesas extras que o segurado tiver com o transporte da carga para o local correto de entrega.

Cobertura básica restrita B

Cobre danos à carga, decorrentes de incêndio, naufrágio, capotagem, colisão, abalroamento, carga lançada ao mar; perda total de qualquer volume durante as operações de carga e descarga de qualquer meio de transporte, perda total ou parcial, devido à tempestade no mar e/ou de arrebatamento, desmoronamento ou queda de pedras, terremoto, entrada de água do mar, lago ou rio no veículo. Danos extraordinários para salvar o que for possível do navio, despesas que o segurado tiver que pagar para o transportador, reembolso de despesas com descarga e armazenamento que se fizerem necessárias.

Cobertura básica restrita C

Abrange gasto extraordinário para salvar o que for possível do navio, despesas de salvamento ou recuperação da carga, despesas que o segurado tiver que pagar para o transportador, além de cobrir danos à carga.

Tranquilidade, proteção e segurança em jogo

A A2G trabalha de forma consultiva, customizada e personalizada e tem parcerias com os principais players do mercado segurador em diversas áreas, oferecendo uma gama completa de soluções aliadas a um atendimento dedicado. Atua no mercado em geral a fim de aplicar uma consultoria específica para grupos criando produtos diferenciados.

“A Corretora de Seguros foca seus esforços para garantir a excelência no atendimento, tratando de forma estratégica a realização de negócios, aliando interesses e oportunidades. Os serviços oferecidos cobrem as necessidades não só do cliente segurado, mas de diversos elos da cadeia produtiva. Cada setor, cliente ou atividade tem que ser analisado individualmente, para se buscar coberturas personalizadas”, conclui Alexsandro Calhau, diretor da A2G Corretora de Seguros.

Website: http://a2gseguros.com.br/

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close