NOTÍCIAS CORPORATIVASPAT

Tecnologia detectável é aposta para aumentar segurança na indústria de alimentos

Antes de chegar aos supermercados, açougues e à mesa dos consumidores, a carne passa por um processo industrial cada vez mais rigoroso. Por estar sempre na berlinda quando o assunto é gestão e crise ligadas à marca, o setor alimentício, sobretudo o de bens refrigerados perecíveis ou de frigoríficos, está intimamente ligado às inovações pertinentes a novos processos e tecnologias que assegurem padrões mais elevados de higiene e segurança no manuseio e comercialização.

dino

Um dos exemplos é a Norma Regulamentadora 36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresa de Abate e Processamento de Carnes e Derivados, que tem como objetivo estabelecer um padrão de qualidade para avaliação, controle e monitoramento dos riscos existentes nas atividades de abate e processamento de carnes e derivado destinados ao consumo humano. A finalidade dessa NR é garantir mais segurança, saúde e qualidade de vida para os colaboradores deste setor, estabelecendo requisitos mínimos para realizar as atividades, priorizando a proteção dos trabalhadores.

Por outro lado, os consumidores também estão no foco quando o tema é segurança na manipulação de carnes e frios, que, como atesta o Guia Técnico-ambiental de Frigoríficos (carnes bovina e suína), estão submetidos ao conceito de P+L (Guias Ambientais de Produção mais Limpa), publicado pelo Sindicarnes (Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado de São Paulo) em parceria com a Fiesp e a SMA/Cetesb.

Segurança de produção e consumo

A Sunnyvale é um bom exemplo que define as tendências desse segmento em relação à preocupação com higiene. A empresa está lançando no Brasil a linha Sunnyvale Detectáveis, composta pela caneta que conta com tecnologia avançada para fácil e rápida detecção caso seja perdida em trabalhos de corte e processamento de gêneros alimentícios, como carne. Usa, em seu corpo, metais detectáveis visíveis em raios-X que são compatíveis com as normas regulativas da FDA. A família de produtos ainda inclui luvas e toucas que compartilham do mesmo princípio das canetas, ou seja, oferecem altíssimo grau de segurança em níveis de higiene e detecção para linhas de produção de alimentos, bebidas e embalagens.

No caso, todos os produtos possuem componentes que podem ser facilmente detectados por sistemas de raios-X e de inspeção de qualidade. Especificamente no caso das luvas, fabricadas em vinil detectável, tratam-se de produtos certificados para uso e contato com alimentos dentro das normas norte-americanas e europeias.
Além disso, o portfólio também inclui luvas fabricadas com látex nitrílico ideais para uso em ambientes internos e externos para trabalhos que exijam manipulação de itens e resistência. A matéria-prima usada faz com que a água, o óleo e a graxa deslizem para fora da luva, enquanto uma superfície texturizada ajuda a reter as peças úmidas e secas. Possuem forro reforçado e durável com algodão e estão aptas e certificadas para uso com alimentos ácidos e gordurosos.

“Com a nova linha de itens de segurança, a Sunnyvale está ampliando seu portfólio de tecnologias para criação de linhas de produção seguras e padronizadas para mercados em que higiene e normas de processamentos são essenciais, como frigoríficos e bebidas”, salienta João Fortes, gerente de produtos da Sunnyvale.
Fortes prossegue, destacando as soluções de inspeção que já são comercializadas pela empresa. “Já disponibilizamos com sucesso no mercado brasileiro a tecnologia do sistema de raio-X XR75, da Anritsu, um equipamento ideal para inspeção de corpos estranhos metálicos e não metálicos como vidros, cerâmicas, borrachas, plásticos de alta densidade e até ossos calcificados em alimentos. Agora, juntamente com os itens da Sunnyvale Detectáveis, fechamos o ciclo para oferecer ao mercado um processo verdadeiramente eficaz de controle de produção e inspeção”, diz.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close