Emily SobralPAT

Análise ergonômica fora da gaveta

Por Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Acho muito chic aquelas empresas que se preocupam em oferecer um mobiliário e equipamentos de trabalho com base na ergonomia. Evidentemente acho bacana o uso da ergonomia porque sei seu conceito de maneira ampla, que é a ciência que estuda a relação entre homem e o trabalho, buscando uma integração perfeita entre as condições de trabalho, as capacidades e limitações físicas e psicológicas do trabalhador e a eficiência do sistema produtivo.

Agora, com todo respeito, há pessoas que entendem a ergonomia apenas como a cadeira oferecida aos operadores de caixa em supermercados. Primeiramente, para usar dessa ciência, deve-se ter conhecimento para elaborar uma boa análise ergonômica, específica a cada local de trabalho. Quem executa o projeto de análise ergonômica precisa entender de anatomia e biomecânica, que se trata do movimento do trabalhador em seu ambiente ocupacional, assim como de processos produtivos. Além disso, deve conhecer também sobre as medidas antropométricas, de forma a analisar se o posto de trabalho pode ser adaptado ao empregado, e identificar qual é a melhor forma de organização do trabalho do local. Por ser uma etapa dentro da ergonomia, a análise não deve ser apenas um documento para ser colocado na gaveta, mas materializar-se em medidas concretas que tornem o ambiente de trabalho, livre de adoecimentos e acidentes. Aí, sim, é uma empresa fina!

 

www.segurancaocupacionales.com.br

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close