Mercado e tecnologiaSegurança patrimonial e eletrônica

Inovação e tecnologia são cruciais para a inclusão social e o crescimento econômico do BRICS

Dirigentes de empresas de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul defendem a cooperação e a troca de experiências para promover o desenvolvimento tecnológico dos cinco países

A inovação e a tecnologia são decisivas para promover a inclusão social, a expansão das empresas e o crescimento econômico dos países. A afirmação foi feita pelo empresário Lu Yimin, presidente do grupo empresarial China General Tecnology, no painel sobre inovação e economia digital, do Fórum Empresarial do BRICS, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O Fórum ocorre nesta quarta-feira (13), em Brasília, às vésperas da cúpula do BRICS.

“A inovação derruba barreiras”, acrescentou o diretor regional para o Brasil da indústria de tecnologia indiana Tata Consultancy Service, Tushar Parikh. Na avaliação do diretor de negócios digitais da indústria WEG, Carlos José Bastos Grillo, cada indústria tem o próprio ritmo de implementação das novas tecnologias. “As empresas e as atividades precisam de soluções customizadas”, disse.

EDUCAÇÃO E ENGENHARIAS – Grillo destacou que, como as novas tecnologias estão vinculadas a softwares e inteligência artificial, as empresas precisam de equipes técnicas especializadas em desenvolver soluções para as necessidades de cada atividade. “É preciso formar engenheiros”, recomendou o brasileiro.

Segundo o executivo indiano, Tushar Parikh, a educação de qualidade, voltada para a matemática, às ciências e às engenharias, é importante para o avanço tecnológico das empresas e dos países. A inclusão digital também é decisiva para a inovação e o desenvolvimento tecnológico, acrescentou a empresária Anna Nesterova, presidente do site de negócios eletrônicos Global Rus Trade, da Rússia.

A empresária russa Anna Nesterova destacou que a inclusão digital também é decisiva para a inovação e o desenvolvimento tecnológico

Ela contou que uma parceria entre o governo e a iniciativa privada na Rússia está levando redes de acesso à Internet às comunidades remotas na Rússia. “A iniciativa ajuda a inclusão digital das pessoas e, especialmente, o desenvolvimento das pequenas e médias empresas”, disse Anna Nesterova.

A empresária russa lembrou que uma das propostas que os empresários do BRICS levarão aos chefes de Estado é justamente a cooperação e a troca de experiências entre os países para promover a inclusão digital de áreas remotas.

MAIS INVESTIMENTOS – Na África do Sul, há experiências em que a inovação e a inclusão digital são usadas para ampliar o acesso da população carente à saúde. Conforme a empresária sul-africana Jesmane Boggenpoel, uma startup desenvolveu um aplicativo que facilita o acesso da população a remédios de uso contínuo. “Com o aplicativo, as pessoas carentes podem seguir seus tratamentos. É um bom modelo de como a inovação promove a inclusão social”, disse Jesmane.

Ela acrescentou que o comércio eletrônico ainda é incipiente na África do Sul. Representa apenas 1,8% das vendas do varejo e os serviços de entrega das encomendas são pouco eficientes. “Precisamos investir mais em inovação”, afirmou Jesmane, lembrando que o país vem se destacando no desenvolvimento de tecnologias para o setor agrícola e a produção de alimentos.

Os representantes de Brasil, China, Índia e Rússia concordaram que também precisam ampliar os investimentos em inovação. Por isso, defenderam a cooperação e a troca de experiências e boas práticas para o desenvolvimento tecnológico do BRICS.

 

 

 

A empresária sul-africana Jesmane Boggenpoel citou experiências em que a inovação e a inclusão digital são usadas para ampliar o acesso da população carente à saúde

FÓRUM EMPRESARIAL DO BRICS – A CNI organiza nesta quarta-feira (13), no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), o Fórum Empresarial do BRICS. O evento reúne 800 representantes de governo e do setor privado dos cinco países para debater três temas na agenda do bloco: comércio, infraestrutura e inovação. A CNI é a responsável pela secretaria executiva da Seção Brasileira do Conselho Empresarial do BRICS (CEBRICS). Os Chefes de Estados e Governo dos cinco países participam do encerramento.

 

Por: Verene Wolke

Fotos: José Paulo Lacerda

Da Agência CNI de Notícias

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close