Emily SobralPAT

Além daquele abraço, garis precisam de proteção aos riscos

Por Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

A contribuição do trabalho dos garis à população é colossal, pois higiene é sinônimo de saúde. Pena que muita gente seja mal-educada, jogando lixo na rua. Ao recolher os resíduos das famílias, os coletores de lixo estão expostos a diversos riscos. Geralmente contratados por empresas privadas que prestam serviços às prefeituras, a gestão de saúde e segurança dos garis não pode ser negligenciada.

Não é agradável exercer uma atividade em que se precise tocar e mexer em rejeitos, detritos e excrementos dos seres humanos e animais. Por isso, todo o processo de coleta deve seguir procedimentos, métodos e organização visando ao trabalho seguro. Os perigos dessa atividade são minimizados com o correto uso dos equipamentos de proteção individual, além de oferecer treinamento para as equipes que recolhem o lixo municipal.

Os EPIs indispensáveis são fardamento com tecido de boa qualidade, botas, luvas, máscaras e protetor solar. Os garis devem ser treinados para utilizá-los corretamente, além de ser responsáveis por sua conservação. Antes de sair às ruas, os coletores devem ter à sua disposição vestiários e armários para guardar seus pertences durante a jornada laboral. O local das refeições do gari precisa ter condições sanitárias salubres e adequadas.

 

www.segurancaocupacionales.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close