PATSaúde Ocupacional

As empresas têm papel fundamental na detecção e tratamento da leucemia

A medicina ocupacional é fundamental no diagnóstico e tratamento da doença que já registrou mais de 10 mil casos no Brasil

A leucemia, nas suas mais variadas formas de apresentação, está aumentando. Na maioria dos casos é curável, mas mesmo assim a taxa de mortalidade é alta no Brasil, como mostra o levantamento feito pela Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia, que por meio de dados registrados mostrou que foram contabilizados 62.385 óbitos decorrentes da doença entre os anos de 2007 e 2016.

 

De lá para cá, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) foram registrados 10.800 novos casos de leucemia no Brasil, entre eles 5.940 dos diagnósticos em homens e 4.860 em mulheres.
Ainda de acordo com informações do INCA, atualizadas em 2018, existem 12 tipos diferentes de leucemia, uma doença maligna que atinge os glóbulos brancos, onde as células doentes ficam acumuladas na medula óssea e passam a substituir as saudáveis na corrente sanguínea. Entre os sintomas da doença estão anemia, falta de ar e dor de cabeça.

 

De acordo o médico Ricardo Pacheco, que também é gestor em saúde e presidente da Associação Brasileira de Empresa de Saúde e Segurança no Trabalho (ABRESST), chegar a um diagnóstico precoce é mais simples do que parece. “As empresas podem ajudar nesse processo por meio da medicina ocupacional oferecida aos seus trabalhadores. Com base no relato do trabalhador, se identificado os sintomas, o médico pode solicitar um hemograma completo. Por meio de uma análise criteriosa é possível chegar ao diagnóstico e encaminhá-lo para exames complementares e tratamento o quanto antes. O diagnóstico antecipado certamente faz a diferença”.

 

O médico ainda lembra que algumas organizações precisam de um monitoramento maior, pois muitos trabalhadores permanecem expostos a agentes hematotóxicos. “É fundamental que haja por parte da medicina ocupacional uma abordagem clínico assistencial que vise à atenção integral ao trabalhador, seja no ambiente de trabalho ou momento de demandar assistência. As empresas desempenham um papel primordial nessa questão, já que o sistema de saúde brasileiro carece de subsídios para uma abordagem inicial do câncer. A medicina ocupacional além de desafogar o SUS na descoberta da doença, ainda minimiza os custos com um tratamento inicial e, principalmente, traz esperança e saúde para o trabalhador”.

 

Como surge a leucemia

 

A leucemia surge quando células da medula óssea, conhecida como tutano do osso, sofrem mutação e passam a se multiplicar descontroladamente, tirando o lugar de células saudáveis. Existem diversos tipos de leucemias, mas as mais comuns são: leucemia linfoide aguda, linfoide crônica, mieloide aguda e mieloide crônica. Elas não escolhem quem acometer, desde crianças até pessoas mais velhas.

 

Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho

 

            No dia 3 de abril próximo vai acontecer o Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho, um evento organizado e promovido pela ABRESST – Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho em parceria com a Fundacentro de São Paulo, que será o endereço do encontro.

 

O debate abordará assuntos de alta relevância não apenas para todos da área de segurança e saúde no trabalho, mas para toda a sociedade, como as discussões em torno das Normas Regulamentadoras 29 (trabalho portuário), 30 (trabalho aquaviário) e 32 (serviços de saúde).

 

Em breve divulgaremos a agenda, confirmando horário e forma de credenciamento para a imprensa

 

Sobre a MGP Saúde

 

A MGP Saúde é uma plataforma de solução integrada de saúde, que oferece assessoria e consultoria, para empresas e para população em geral. Dentro dessa plataforma, de gerenciamento macro, está o plano de saúde que visa assegurar a assistência integral social e à saúde dos beneficiários e seus dependentes, com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação, de forma a contribuir para o aprimoramento do sistema social e de saúde do Brasil.

 

Mais informações

Sandra Cunha, jornalista

Mtb 26.095

sandracunhapress@terra.com.br

(11) 99694.8607 (whatsapp)

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close