Mercado e TecnologiaPAT

Quais os principais tipos de segurança no trabalho

Você não deve saber quantas pessoas foram afastadas por acidentes de trabalho, não é mesmo? Segundo dados divulgados pela Previdência Oficial, só entre 2014 e 2018, mais de 1.8 milhão de pessoas foram afastadas de exercerem seus serviços devido a algum tipo de acidente.

 

Se formos mais adiante, mais de 6 mil pessoas vieram a óbito por trabalharem de forma insegura e perigosa. É assustador, não é mesmo?

 

Para evitar acidentes e diminuir essas estatísticas, é importante que todo ambiente corporativo conheça e invista em medidas de segurança do trabalho

 

O post vai apresentar algumas medidas de segurança no trabalho que são fundamentais para proporcionar aos funcionários um ambiente saudável. Sabemos bem que sem as devidas orientações, qualquer descuido pode gerar grandes problemas. Preparado?

O uso de EPIs e EPCs é fundamental

Os equipamentos de proteção são ferramentas e acessórios feitos para proteger os funcionários durante o execução de suas atividades. Para fabricar um disco abrasivo, por exemplo, requer muitos cuidados, não é mesmo? E é aí que esses acessórios são acionados.

 

Os famosos EPIs nada mais são que materiais de uso pessoal como botas, sapatos, luvas, aventais, óculos, capacetes e protetor auricular.

 

Já os EPCs são aqueles de uso comum a todos os funcionários. Podemos considerar EPC os cones, correntes de segurança, sirenes, alarmes, sistemas de ventilação e exaustores.

 

É obrigação de qualquer empresa incentivar e promover o uso desses equipamentos, uma vez que a falta deles em ambiente de trabalho pode ocasionar multas à empresa e processo jurídico. A integridade dos profissionais é prioridade.

Faça reuniões de divulgação de riscos

 

É fundamental que os funcionários da empresa conheçam os riscos de não utilizar os equipamentos de proteção e não seguir as regras de segurança do trabalho.

 

Esse tipo de informação pode ser passada por meio de treinamentos e capacitação ou até mesmo em folhetos informativos. Essas informações podem ser dadas tanto por meio de capacitações e treinamentos regulares, como também por medidas de prevenção e orientações para procedimentos necessários em casos de emergência.

 

Uma empresa de etiquetas personalizadas, por exemplo, precisa contar com uma pessoa para fiscalizar se os equipamentos necessários estão sendo utilizados.

 

Os funcionários que se recusarem podem ser advertidos e, até mesmo, demitidos por justa causa. Por isso é fundamental que eles saibam da importâncias desses acessórios.

É fundamental que a empresa tenha a CIPA

 

A CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) é composta por funcionários da própria empresa, além de um representante entre os profissionais de segurança do trabalho.

 

Para que este órgão seja instaurado em um ambiente de trabalho é preciso que o local conte com, pelo menos, 20 funcionários, independentemente do nível de risco que seu segmento representa. Ou seja, até uma empresa de aluguel de empilhadeira precisa contar com esta equipe.

 

O objetivo da CIPA é verificar os acidentes que já  aconteceram em ambiente de trabalho e buscar alternativas para que eles não voltem a acontecer. Além disso, ele é responsável por detectar qualquer risco de acidente em potencial.

 

 

 

 

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close