NOTÍCIAS CORPORATIVASSegurança patrimonial e eletrônica

A digitalização das empresas brasileiras

A Transformação Digital vem sendo debatida há alguns anos em muitas empresas, porém a pandemia da Covid-19 fez com que as empresas precisassem repensar e acelerar esse processo.

DINO

Do RH ao atendimento ao cliente, da linha de produção às entregas, hoje existem plataformas para automação e digitalização das empresas em todas as áreas. Não se trata de substituir o trabalho humano, mas, sim, oferecer ferramentas para que as pessoas possam otimizar seu trabalho e para gerar dados de mercado que retroalimentem as ações da empresa.

Segundo relatório de 2019 da Panorama Search, o Brasil está mais atrasado na transformação digital do que outros países da América Latina, mas existe um esforço de 85% dos 600 executivos entrevistados para virar essa chave.

Falta de um plano de negócios estruturado, de uma estratégia definida, de agilidade organizacional e falta de apoio de CEO’s e acionistas foram fatores muito apontados pelos entrevistados brasileiros como empecilhos para a Transformação Digital nas empresas.

Com a pandemia, esse cenário ganhou novas perspectivas e que o era distante passou a ser obrigatório. Hoje, é impensável uma empresa que queira sobreviver a essa crise não repensar sua digitalização em todas as áreas e processos.

E isso, claro, leva tempo. As empresas que já se moviam em direção à digitalização pré-pandemia estão à frente, visto que já construíram a base para implementar todos os níveis de uma empresa que seja, de fato, digital.

Otimização é palavra de ordem

Segundo Antonio Wrobleski, Presidente do Conselho da Pathfind, empresa de tecnologia que oferece soluções para otimização de processos de logística e vendas, a digitalização pode ser dividida em três fases:

– Fase 1: Estudo preliminar para verificar quais são os primeiros passos que a empresa dar (recomenda-se começar por ferramentas mais básicas de gestão;

– Fase 2: dependendo do nível que a empresa esteja no nível 1, é necessário mais 2 anos para implementações mais complexas;

– Fase 3: a empresa começa a olhar ao seu redor, seus fornecedores e marketplace. Digitalização de ponta a ponta para que não haja quebras no processo.

Antonio defende que as empresas avaliem o custo/benefício da digitalização para que o investimento financeiro necessário não seja um impeditivo para a empresa dar continuidade ao projeto. “Um dashboard baseado em dados reais significa retroalimentar a empresa com informações de mercado que são cruciais para a tomada de decisão. A L’Oreal é um exemplo de empresa que já faz isso há bastante tempo e muito bem. O centro de suas ações de digitalização é conseguir atender aos desejos dos consumidores.”, afirma Wrobleski.

Segundo Wrobleski, a Pathfind caminha no mesmo sentido, oferecendo soluções de machine learning para que seus clientes possam tomar ações mais rápidas e assertivas em relação a sua operação logística e de vendas.

“Nossos clientes que utilizam o otimizador de rotas chegam a ter 30% em redução de custos e tudo isso só é possível porque a plataforma oferece informações de melhor trajeto baseado em quilometragem, gasto de combustível, áreas mais seguras, janela de entregas e setorização. Tudo é baseado em dados para que as ações gerem economia real”, explica. “Os clientes que utilizam o planner de vendas em conjunto com o otimizador de rotas têm ainda mais benefícios e economia, já que estão avaliando o processo de ponta a ponta. O começo de tudo, que é comprar, e o final de tudo, que é vender”, complementa.

Existe muita confusão no Brasil sobre o que realmente é a digitalização das empresas. “A digitalização é  um sistema de aprendizado, vinculado à Inteligência Artificial e a uma matriz de decisão que dispara ações internas na empresa. Por exemplo: identificou-se que os apartamentos estavam ficando tão pequenos que não fazia mais sentido máquinas de lavar com 16kgs de capacidade, passaram a produzir mais máquinas de 10kg, depois vieram as lava e seca e já existem estudos de máquinas que não utilizam água e sabão e não ocupam espaço.

Esse tipo de informação de mercado é fundamental para a tomada de decisão e o formato como essa informação é coletada determina a velocidade das ações da empresa. É nesse sentido que as empresas devem caminhar para ter sucesso em sua digitalização”, finaliza Antonio.

Website: http://www.pathfind.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close