PATSaúde Ocupacional

Testagem de trabalhador garante segurança e controle da pandemia

Com a retomada das atividades, a testagem é a maneira mais efetiva para aquecer a economia com proteção

Na maioria dos estados brasileiros as atividades econômicas foram retomadas. Comércio, indústria e os mais variados serviços estão em plena atividade. Mas esse retorno é preciso se dar com responsabilidade, para que não tenhamos que retroceder etapas, como já vimos acontecer em algumas cidades do País.

O governo federal, sem fazer juízo de valor do momento em que se deu, sancionou uma lei que garante prioridade na testagem para detectar nos profissionais essenciais a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Consta na lei, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada no Diário Oficial da União de 9 de julho, que os trabalhadores que atuam no controle de doenças e na manutenção da ordem pública que tenham contato direto com pessoas e materiais contaminados, terão preferência na testagem. A lista desses profissionais foi ampliada pelo Senado Federal.

Ricardo Pacheco, médico, gestor em saúde, presidente da ABRESST (Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho) e diretor do Grupo OnCare, acredita que essa testagem deve se dar da forma mais ampla possível. “Claro que os profissionais das atividades essenciais precisar ter prioridade, mas é preciso que as empresas se conscientizem que a testagem, com as medidas sanitárias recomendadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), é a maneira mais eficaz e responsável de retomar às atividades”.

Ele ressalta que testar seus trabalhadores vai além de fazer uma gestão adequada da saúde de todos. “A empresa que testa seus trabalhadores tem muitos benefícios. Primeiro porque garante a saúde daquele profissional, ao mesmo tempo que implanta uma cultura sanitária que é levada aos seus familiares. Depois porque consegue manter um padrão produtivo e competitivo, sabendo que pode contar com um time eficiente e saudável. Sem contar que favorece muito a imagem de empresa responsável e que se importa de verdade com sua equipe”.

Testar, testar e testar

Como já disse Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS, lá no começo da então epidemia, testar, testar e testar é a solução mais eficiente para conter a disseminação do vírus.

Embora muitos países (inclusive o Brasil) não tenham colocado em prática essa estratégia desde o início, ela continua sendo a melhor forma de manter a disseminação controlada.

Para o presidente da ABRESST e diretor da OnCare, as medidas de segurança e prevenção, como o uso de máscaras, a lavagem frequente das mãos e o distanciamento social, diminuem o risco de contaminação, mas a testagem garante ambiente livre do vírus. “O teste é importante, pois identifica a população de pessoas que estão apresentando a doença, que já tiveram a doença ou que são negativos. Desta forma, é possível identificar a população de indivíduos que devem retornar às atividades e a que deve permanecer isolada”.

Ainda de acordo com Ricardo Pacheco, avaliar a detecção de anticorpos IgG e IgM por meio de testes no momento adequado (geralmente a partir do quinto dia do início dos sintomas) ajuda a gerenciar melhor as equipes de trabalho. “É fato que os sintomas da Covid-19, quando amenos, podem ser facilmente confundidos com sintomas gripais. Saber se os sintomas estiveram relacionados com este vírus específico é importante para que o indivíduo receba as orientações corretas. Por isso, os testes são importantes aliados para diminuir o impacto da infecção nas empresas e para contribuir pela saúde física e mental dos trabalhadores”.

Ele lembra ainda que a orientação adequada é valiosa nesse sentido. “É importante que as empresas sejam orientadas quanto à aplicação dos testes. Essa é uma atribuição para equipe de saúde treinada, que precisa estar à disposição para que os trabalhadores possam esclarecer suas dúvidas com profissionais capacitados e dentro dos protocolos mais atualizados”, completa Pacheco.

 

Sobre o Grupo OnCare

 

O Grupo OnCare é uma plataforma de solução integrada de saúde, que oferece assessoria e consultoria, para empresas e para população em geral. Dentro dessa plataforma, de gerenciamento macro, está a assistência médica que também garante a assistência integral social e à saúde dos beneficiários e seus dependentes, com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação, de forma a contribuir para o aprimoramento do sistema social e de saúde do Brasil.

 

Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho é adiado por conta do surto da Covid 19

 

         O Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho, um evento organizado e promovido pela ABRESST – Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho e que aconteceria em 3 de abril foi adiado.

O debate que abordaria assuntos de alta relevância não apenas para todos da área de segurança e saúde no trabalho, mas para toda a sociedade, o como as discussões em torno das Normas Regulamentadoras 29 (trabalho portuário), 30 (trabalho aquaviário) e 32 (serviços de saúde); e claro, a pandemia, terá sua data remarcada assim que a entidade tiver segurança de que não há mais o risco de contaminação.

 

Mais informações para a imprensa

Sandra Cunha, jornalista

Mtb 26.095

sandracunhapress@terra.com.br

(11) 99694.8607 (whatsapp)

 

 

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close