Emily SobralPAT

Construtora séria cumpre com suas responsabilidades

Por Emily Sobral Twitter: @EmilySobral       Periscope: @emiliasobral61

Escavadeira, bate-estaca, furadeira e lixadeira são os principais equipamentos responsáveis pelos barulhos e ruídos estridentes dentro de um canteiro de obra. Morar perto de uma construção em andamento é, com certeza, passar raiva pelos sons permanentes. Se para o vizinho que escuta distante, imagine para o operário que, por vezes, está operando essas máquinas!

Assim, uma empresa de engenharia séria reconhece os riscos da atividade e deve tomar medidas de controles para evitar doenças nos seus empregados. Um dos focos das ações é a entrega dos equipamentos de proteção individual (EPIs), úteis na preservação da saúde do trabalhador. Para a exposição excessiva ao ruído, durante longos períodos, que pode causar a perda auditiva, além de outros problemas de saúde, como alteração da pressão arterial, problemas psicológicos, insônia irritação e inquietude, recomenda-se a utilização de protetores auriculares. Mas também é fundamental a realização do exame de audiometria aos trabalhadores para que se possa detectar e acompanhar os danos causados ao ouvido pelo ruído excessivo. A vibração provocada pelos equipamentos nas atividades de compactação do solo também pode gerar distúrbios de saúde como labirintite e a perda auditiva por condução óssea.

Já as luvas de proteção são imprescindíveis ao operário da construção civil por causa dos produtos químicos, como o cimento, que ao entrar em contato com a pele, pode causar diversas doenças, e a mais clássica é a dermatose. O risco químico também está presente, pelas poeiras resultantes do trabalho com cal, cimento, gesso, gerando fumos metálicos e vapores orgânicos desprendidos das tintas e solventes.

Por isso, as empresas devem fornecer uma gama de EPIs, como capacetes, óculos, luvas, máscaras, botas e uniforme adequado. Cabe ao empregador encaminhar o empregado para realizar os exames ocupacionais, admissionais, periódicos, retorno ao trabalho, e mudança de função, pois essa é uma ocasião em que o médico consegue detectar as doenças relacionadas ao trabalho.

Deve-se, assim, priorizar a saúde do trabalhador e a manutenção de sua qualidade de vida dentro da empresa.

 

 

www.segurancaocupacionales.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close